Transei com o cara que me encochou no ônibus

 

Ola, meu nome é Nina Dobrev, tenho 29 anos, sou casada, sexta feira passada eu estava no ponto de ônibus, às 6h da manha, esperando a condução que me levaria ao meu local de trabalho.

 

Depois de alguns minutos percebi um rapaz que me olhava insistentemente, como uso muitos decotes achei que meus seios estavam chamando a atenção (eles realmente são bonitos: médios, fartos e duros). sempre que levantava meu olhar do livro que estava lendo deparava com os olhos deles sobre mim, ficando um tanto quanto inibida.

O ônibus chegou e entramos (é um desses ônibus que na minha cidade chama-se de circular, pois roda a cidade quase inteira). Assim que passei a catraca percebi que só havia dois lugares vagos, eu sentei na cadeira no corredor e o “paquera” ficou em pé ao meu lado. em alguns poucos minutos já havia algumas pessoas em pé e nesse instante percebi o que meu “amigo” tanto queria:

Ele começou a esfregar o pau dele no meu ombro e eu fiquei empolgada e excitada com a situação. com o movimento do ônibus já dava para perceber que o caralho do cara tava super duro, e, aquilo me deixava louca e com vontade de provocá-lo (semana não fiz nada de sexo com meu marido devido a umas discussões), então não tive dúvidas comecei a me mexer na cadeira, parecendo que era sem querer ajudando aquele pau a roçar no meu ombro e como estava com uma blusa super decotada dava um jeito para que ele visse os meus mamilos que já estavam duríssimos de tesão.

O cara cada vez mais excitado se esfregava no meu ombro, estava se aproximando minha descida então me levantei, olhei nos olhos deles e dei uma esfregadinha nele e me virei para caminhar até porta de saída do ônibus, no entanto ao me virar e ficar de costas para ele. senti uma mão segurar minha cintura e me prender, adorei e simplesmente me virei e deixei ele marcar cartão em mim (aqui se dá esse nome quando o cara fica esfregando o mastro na nossa bunda dentro de ônibus). ambos, estávamos cheios de tesão, e não trocamos nenhuma palavra, só nos olhávamos e deixávamos rolar. nisso percebi que meu ponto já havia passado então relaxei e deixei o cara continuar.

A mão dele nessa altura já estava acariciando minhas coxas, eu prendia os gemidos e gritos e ia deixando ele me bolinar. de repente ele desencosta e me puxa pela mão, eu nem pensei e já fui descendo do ônibus e o acompanhando, paramos em uma rua deserta onde só se via uma construção, ele me encostou a um muro, de frente para ele e começou a beijar meu pescoço e bolinar minha buceta, que já estava completamente ensopada de tesão.

A esta altura eu gemia e pedia: – me come, fode a puta do ônibus

Ele me lambia, desabotoava minha blusa, deixando meus seios à mostra e chupando-os com muita vontade, desceu a língua pelo meu corpo e quando menos esperei chupava meu grelo lambendo-o, sugando-o, me deixando mais vadia.

 

Eu me virei de costas e ele abriu minha bunda e passou a língua, urrei de prazer.

Subiu a língua pelas minhas costas, me beijou a nuca, enfiou a língua no meu ouvido e me virou de frente, beijou minha boca, foi um gostoso beijo, depois me forçou descer até ficar de joelhos, enquanto ele abria a calça e deixava o seu grandioso pau a mostra.

Nesse instante só me restava colocar aquele caralho na boca, e aí comecei lambendo as coxas, passeando a língua em cada virilha dele bem devagar, vendo-o se contorcer de prazer, me xingar de vadia, vagabunda e quanto mais eu era xingada, mais sentia vontade de chupar, engolir aquele mastro delicioso.

O pau dele já estava super molhando então eu levantei encostei-me na parede de costas para ele e disse

– vem, vem, me come logo

Ele colocou uma camisinha e meteu gostoso na minha buceta, por trás, enquanto utilizava uma das mãos para mexer no meu grelo, me fazendo gritar de gozo, me deixou com o meu néctar escorrendo pelas pernas, ao mesmo tempo, que ele sussurrou no meu ouvindo

– desde que te vi que sabia que você era puta, que dá para qualquer um

Ele se abaixou senti lambendo minhas coxas, abrindo minha buceta e secando o mel que dela escorria, estava de olhos fechados, gemendo (adoro ser chupada)

Então ele me fez virar de costas mais uma vez e começou a meter no meu cuzinho apertado, eu estava louca de tesão, gemia, gritava, xingava, pedia para ser arrombada, fudida, entre outras coisas… ele me enrabava deliciosamente, com pegada.

Ao sentir o gozo se aproximar ele saiu do meu rabo, me fez ficar de cócoras de frente par ele e gozou na minha cara, e me fez fazer um boquete bem gostoso no rola quente e melada dele, ele me ajudou a levantar, me limpar e disse que “eu fui a puta mais gostosa que ele já encochou em um ônibus”.

Não trocamos palavras, simplesmente nos vestimos e saímos daquela rua, ele me deixou ate ao ponto de ônibus para tentar chegar ao meu trabalho e ele me deu um beijo no rosto, cochichou que eu era muito gostosa e continuou seu caminho, sem nem olhar para trás.

Foi a encochada mais deliciosa que já recebi em minha vida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Tags:,

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *