O dia que me descobri

Tudo começou com o meu desejo de experimentar algo novo, vou falar de mim, sou moreno alto 1,83 de altura e minha rola tem dezessete cm é mto grosssa, sempre fui aquele garoto não muito bonito, mas eu sou bom de conversa, e nunca fiquei com muitas meninas pois sempre namorei, mas sempre tinha alguma garota a afim de mim e tals, sou um pouco cheinho tenho 75kg, minhas coxas são grossas e minha bunda não é muito grande, quando eu fico com garotas faço sucesso e elas sempre querem dnv….

sempre batia uma punheta gostosa e ficava pensando em algo entrando no meu cu, até então eu via aquelas brincadeiras dos garotos, de pegar no pau, de enfiar o dedo na bunda como zoeira, e então a partir desse momento eu comecei a gostar e ficar de pau duro com esses acontecimentos…

Eu tive uma namorada, que eu nunca trairia e nem traí ela, então a gente se pegava escondido em vários lugares, até que um dia ela passou o dedo na portinha do meu cu enquanto chupava meu pau, ela passou brincando sabe, mas eu morri de prazer e queria mais, no entanto não tinha coragem e nem jeito de pedir isso a ela, as vezes usava indireta “quando quiser me comer fala” “quer me foder é” ela sempre respondia que queria mas eu achava que era brincadeira. Depois de um tempo eu terminei com ela, a gente n tava dando mais certo, nesse meio tempo eu comecei a bater punheta no banheiro primeiramente usando o dedo no cu, mas meus desejos queriam mais, até que um dia comecei a usar desodorante rollon e eu gozava como nunca….

Como eu disse depois que eu terminei com ela eu comecei a fazer ligações com com alguns gays e travestis de outros estados, e batia uma gostosa…

Até que encontrei uma transexual na minha cidade, ela era versátil, gostosa para caralho, conversamos bastante, ela é casada e esperou o marido viajar e me chamou para ir na casa dela, eu depilei meu cu, meu saco deixei tudo limpinho para ela, fiz a chuca para não sujar o pau dela, e bati uma gostosa, infelizmente não pude ir por motivos de família, eles não deixaram eu sair de casa (eu menti dizendo que ia em um amigo) e eles marcaram um churrasco e não pude ir, fiquei puto, mas tive que acatar….

O marido dela voltou e tive que esperar mais ainda. Eu conheci uma menina em uma cidade próxima daqui, ela era bi, a gente conversou e ela gostava de ser ativa, marcamos um dia para eu ir na casa dela, novamente eu me depilei todinho, e fiz a chuca, chegando ela ela me buscou na rodoviária, e me levou na casa dela, me serviu um lanche, depois me convidou para tomarmos banho e me fez um boquete com o dedo na portinha do meu cu que gozei litros, quase cai no banheiro pq a perna bambeou….

Depois ela me levou no quarto, eu chupei ela bem gostoso e fizemos um 69, na qual ela encheu meu cu de lubrificante e começou a me comer com o dedo, eu morria de prazer com aquele dedo dela, ela me chupava e enfiava o dedo no fundo do meu cu, coisa gostosa dmais, eu ja tava pronto para gozar e eu dei um tapão na bunda dela e disse que ia gozar

-vou gozar gostosa

ai ela gritou

-goza meu viadinho, goza na minha boca.

ela colocou 4 dedos no meu cu e eu gozei e falei

-sua vadia gostosa, quero que vc foda meu cu com força

ai ela queria que eu comesse ela, peguei um vibrador que tinha, molhei bem com minha saliva, chupei ela de 4, e enquanto eu comia a buceta dela enfiava o vibrador no cu dela, rapidinho eu gozei dnv junto com ela, e ela disse

-eu não mandei vc gozar na minha buceta, agora vc vai limpar ela todinha

e eu chupei ela com goza minha e dela, e meu pau não amolecia de jeito algum, tava estralando, ai depois de tudo ela me colocou de 4 e disse

– você quer rola ness cu meu viadinho?

e eu implorava…:

-sim mete no meu cu vai

e ela ficou torturando e enfiou, e eu gritava pedindo mais e mais, ela puxava minha cintura de encontro com aquele pau de borracha, e batia na minha bunda me chamava de viadinho arranhava minhas costas, foi uma transa extremamente gostosa, por fim para eu gozar novamente eu disse que queria sentar, e comecei a sentar e cada sentada que eu dava nela, eu tomava um tapa na cara e ela me xingava, até que esgotado eu gozei nos peitos dela e cai na cama exausto e dormi. Acordei com ela chupando meu cu e falando:

– você veio aqui para ser minha putinha agora vc vai ser

e transamos mais umas 2 vezes e ela me levou na rodoviária e vim para casa…

depois de uma semana, a trans me mandou msg me chamando para ir na casa dela, na hora fiquei de pau duro e marquei de dormir fora de casa para poder ir lá, deu tudo certo e eu fui para casa dela, cheguei lá tinha uma e era uma festinha, não esperava aquilo, achei que seria só Eu e a Joana (nome fictício da trans) mas tinha outra trans um Gay, logo logo o gay foi embora e a gente continuou vendo um filme, até que a joana começou a me beijar tirando A minha roupa e eu já tava de pau duro, ja tirei o vestido dela e cai de boca no pau, ah para quem chupou um pau sabe o gosto, muito bom, e enquanto eu chupava Joana a Larissa (outra trans) chupava e forçava meu cu com o dedinho, até que então começou a me comer, e foi a melhor transa da minha vida, aquelas 2 trans peitudas só para mim, enquanto uma me comia eu chupava a outra e assim foi indo, me comeram de todas posições possíveis, e um momento marcante foi no qual eu disse que queria as 2 rolas dentro de mim, elas não eram tão grandes, deviam ter dezesseis cm e não muito grossa, e elas colocaram as 2 rolas dentro de mim, e uma estava em cima de mim batendo na minha bunda, me xingando e puxando meu pescoço e a outra que estava em baixo tava batendo na minha cara e chupando a minha tetinha, e elas disseram que ia gozar e eu pedi pra gozarem na minha cara, tiraram e encheram a minha cara de porra, meu cabelo tudo, escorria no meu peito e elas ficaram batendo o pau na minha cara e falando

-isso putinha, cuzinho gostoso, vc vai vir dar de novo para gente

e eu disse:

– para ser viadinho de vcs eu viria todis os dias

assim eu tive minhas primeiras experiências diferentes.

se quiserem trocar fotos ou ligações só por o número embaixo e eu vou chamar no WhatsApp

One Comment

  1. Avatar

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *