Mamando a piroca dotada do segurança da faculdade

Atualmente tenho 35 anos e moro em Minas Gerais. Vou constantemente à São Paulo. Sou um cara viciado em sexo!!! Não consigo ficar mais de uma semana sem meter. Mas não curto o sexo convencional… Curto coisas mais loucas na cama… Sou adepto da arte do BDSM e adoro principalmente o spanking. Adoro ter um mestre dominador e sacana para realizar todas as minhas taras e desejos mais loucos. Sou macho e discreto e só curto caras assim. Tenho quase 2 m de altura, branco, olhos e cabelos castanhos, barba, corpo liso e esbelto e uma bunda grande e lisa. Bunda boa de levar uns tapas.

O que vou relatar aqui aconteceu há aproximadamente dois anos atrás. Na época eu fazia mestrado, e sempre tinha uns seguranças bem gostosos na faculdade que ficavam na guarita em frente à sala que eu ficava. Com o tempo acabavam virando brother, do tipo sair pra tomar uma, falar sobre mulher, futebol e coisas do tipo. O lance da farda mexia muito com a minha cabeça. Sem contar que eram caras rústicos, meio brocos… Fazia imaginar muitas coisas… Mas eu nunca avançava o sinal, pois estava no meu local de trabalho e não queria gerar climão.

Uma vez tinha entrado um segurança novo. Bem diferente dos outros. O cara era quarentão, meio barrigudinho. À primeira vista não chamava atenção de ninguém. Começamos a ficar próximos e sempre trocávamos ideia, mas nunca falávamos algo além do normal.

Um dia eu estava voltando de uma festa e passei num bar pra tomar uma saideira. Chegando lá encontrei ele tomando uma breja sozinho. Começamos a conversar e aí pude perceber algo que não tinha notado antes: o volume da mala. Ele estava sentado num banco ao lado do balcão e acabou ficando marcada a mala naquela calça. A partir desse dia comecei a olhá-lo com outros olhos!!! Rsrsrs

Nesse dia não aconteceu nada. Sempre que voltava de alguma festa eu passava pelo bar e coincidia dele sempre estar lá. Então comecei a investir e tentar saber qual era a dele. Numa dessas conversas, ele me disse que iria tomar mais uma breja e iria encontrar uma mulher pra meter depois dali. Essa foi a deixa pra falar de assuntos mais picantes. Fiz uma piada com ele, e falei pra não passar por uma rua do centro da cidade, pois lá era cheia de travestis. Ele deu risada e disse que achava que não conseguiria encarar, mas que tinha umas travestis que eram mais bonitas que muita mulher. Nesse momento eu já estava com um fogo pra querer saber mais do que aquilo. Pra saber do pau dele, eu falei que tinha uma amiga travesti que só curtia caras pauzudos, no que ele me respondeu que não seria problema pra ele, pois o pau dele era grande e grosso. Nessa hora fui à loucura, mas não sabia como aprofundar mais o assunto, pois não sabia se ele curtia uma brotheragem.

Encontrei com ele várias vezes, mas sempre naquele desejo de um dia rolar algo. Nessa época, eu morava num apartamento em frente a um posto de gasolina. Um dia voltando da balada encontrei com ele nesse posto tomando uma breja. Ele disse que estava voltando de uma festa também e que já tinha tomado todas. Como eu também já estava bêbado resolvi fazer uma proposta indecente pra ele pra ver se colava ou não…. rsrsrs… O convidei para ir tomar uma na minha casa, pois morava em frente. Ele comprou mais umas latinhas e fomos para a minha casa.

Sentamos no sofá e começamos a conversar e logo dei um jeito de começar a falar de algo relacionado a sexo. Ele falou que estava saindo com uma mina e tal e aí ele falou que ela não curtia muito mamar. Dando uma de inocente, falei que realmente a maioria das mulheres não curtem mamar e que quem mamava bem mesmo era homem. Ele deu uma risada e falou que não sabia, pois nunca tinha feito. Ele falou que já tinha pensando em sair com travesti, mas com homem nunca tinha passado pela cabeça dele. Nesse momento, eu falei com ele que era bissexual, e que já tinha feito muita coisa. Que o que realmente importava para mim era sigilo. Ele concordava mas não avançava o sinal.

Já sem saber o que fazer, falei com ele de novo da minha amiga travesti que curtia somente caras pauzudos, onde ele reafirmou que o pau dele era grande. Pegando gancho com o que ele tinha dito, dei uma risada e perguntei se além de grande era grosso também. Ele disse que era bem grosso e cabeçudo e que tinham mulheres que reclamavam. Eu já estava de pau duraço nessa hora. Aí perguntei se era tão grosso assim mesmo e ele mostrou com a mão mais ou menos a grossura. Fiz uma cara de espanto e disse que ele deveria ter um pau bonito. Ele me olhou com um olhar estranho e me perguntou na lata: “Afinal, o que você curte?”. Aí eu olhei com um cara bem safada pra ele falei que curtia tudo, desde que fosse no sigilo total. Aí eu perguntei de volta: “E você, o que curte?”. Ele ficou meio sem graça e disse que curtia muita coisa, mas no sigilo também.

Aí perguntei se ele curtia uma mamada e ele disse que uma mamada sempre caía bem. Nesse momento eu passei a mão na perna dele, mas ele meio que fugiu e disse pra esquecer esse assunto. Foi um balde de água fria no meu tesão, mas enfim… Eu falei que tudo bem e fiz cara de quem não estava se importando. Aí continuamos bebendo e em determinado momento ele foi ao banheiro. Quando voltou, ele estava com o pau meia bomba marcando a calça e me perguntou de supetão se eu tinha camisinha. Fiquei sem entender, mas disse que tinha sim. Aí ele falou pra irmos pro meu quarto pra eu mamar ele.

Nem pensei duas vezes e já peguei a camisinha. Ele então entrou no meu quarto e apagou a luz. Meio tímido, ele abriu a sua calça e botou o pau pra fora. Caralho! Que pau era aquele! Ele estava meia bomba, mas já dava pra perceber que era grosso mesmo. Era um pau brancão da cabeça rosada, pentelhudão e bagos fartos. O cara parecia um boi! Dava pra perceber que o cara não tinha saído com outro homem antes. Ele estava todo desconcertado, sem saber o que fazer. Sem perder tempo, eu me ajoelhei, peguei no pauzão e bati punhetinha pra ele de leve. De repente a tora apareceu!!! O pau devia ter uns 22 cm e a largura de uma lata de cerveja. Foi um dos paus mais bonitos que já encarei até hoje!

Ele então colocou a camisinha e mandou chupá-lo. Achei estranho o cara pedir pra ser mamado com camisinha, mas…. ok! Vamos aos trabalhos! O pau do cara era muito grosso, difícil até pra mamar. Chegava a doer a mandíbula. Eu tentava colocar ele todinho na boca, mas não conseguia, pois era muito grande. Me deitei na cama então e tentei fazer uma garganta profunda nele, mas o pau era grosso demais e ficava difícil fazer a manobra…rsrsrs…. Então me ajoelhei no chão e continuei mamando ele, apertando aquelas bolonas rosadas gostosas, até que ele anunciou que iria gozar. Ele então tirou a camisinha e gozou no chão, dando um urro bem baixinho e contido. Era uma porra grossa e farta. Meu chão ficou todo respingado daquela porra grossa. Que tesão de macho!

Pra poder gozar gostoso, eu cheguei perto do pau dele e dei uma cheirada. Subiu aquele cheio de rola gozada… Que delícia! Nesse momento não aguentei de tesão e gozei também, esguichando porra longe, que até pegou no pé dele. Ele deum uma risada e disse ficou impressionado com a minha esguichada, com a distância que atingia…. Modéstia parte, eu gozo bem: esguicho porra longe… e muita porra!

Ele então vestiu a calça e ficou todo tímido depois, sem conseguir me encarar. Aí, numa pressa danada, ele disse que tinha que ir embora. Não sou do tipo que fica insistindo com ninguém pra nada, ainda mais por sexo. Só concordei e ele foi embora. Estava em êxtase ainda depois que ele foi embora. Que pau delicioso. Confesso que não sei se daria conta de dar pra ele, pois nunca vi um pau tão grosso com aquele. Teria que estar muito bem lubrificado e relaxado pra aguentar.

Depois daquele dia conversamos mais algumas vezes no whatsapp, mas nunca mais marcamos nada. Antes de voltar pra Minas, ele até me chamou no celular pois estava interessado em comprar uns móveis meu. Mas pela conversa que tivemos, ele não estava querendo só olhar os móveis… Ele soltava umas piadinhas meio maliciosas…. Kkkkkkkk….. Ele marcou de ir no meu apartamento novamente olhar os móveis, mas acabou que não deu certo. Quem sabe um dia ainda o encontro por aí em um bar.

Então é isso meus safados e safadas. Espero que tenham curtido o conto! Caso você seja um macho ativo e safado e tenha umas taras tão loucas quanto as minhas, manda uma mensagem para nos conhecermos melhor. Em julho e janeiro costumo estar em Sampa. Quem sabe não marcarmos algo? Abraços.

e-mail para contato: discreto-macho@outlook.com

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *