LUCINHA UMA GORDINHA GOSTOSINHA

Minha historia com Lucinha começou como uma simples brincadeira, num site de jogos, que aos poucos foi tornando um fetiche pra nós dois, passamos a nos conhecer melhor, nossos gostos etc..

Vou tentar resumir como ela era, ela era baixinha por isso a chamavam de Lucinha e também era gordinha, mas uma gordinha simpática eu fui descobrindo aos poucos que ela gostava duma sacanagem, porque comecei a provoca-la num sexo virtual e ela topava qualquer parada , não tinha tempo ruim ou besteira que eu dissesse que a fizesse ficar ruborizada, e depois de algum tempo eu fui descobrir o quanto ela era boa de cama… Lucinha tinha por volta dos seus 40 anos e eu 10 anos mais velho que ela, eu era casado e ela separada.

Quando nos encontrávamos na internet, começávamos a jogar um contra o outro pra passar o tempo, a principio era só jogo mesmo, depois a coisa foi esquentando, eu começava a falar bestetira pra ela e ela pra mim, eu dizia que queria comer a bucetinha dela se ela dava pra mim, ela dizia quando você quiser, dai eu falava ah buceta eu como na minha casa quero algo mais quente, você me daria o cuzinho?? Ela respondia então que daria o que eu quisesse enfim dai começamos a fazer apostas, no jogo, quem perdesse poderia pedir o que quitesse para o outro e o outro e teria que se mostrar pela CAM, a partir dai virou uma sacanagem só, a primeira vez que eu ganhei, pedi pra ela mostrar os peitões na cam, ela enrolou um

tempão, tive que fazer certa chantagem pra que ela mostrasse, mas mostrou, a vez que ela ganhava queria me ver de calças arriadas, ela gostava de ver meu pau duro, as vezes pedia pra que eu me masturbasse pra ela ver como eu estava longe não podia comer aquela buceta eu me masturbava imaginando o dia que eu comeria a buceta da Lu pessoalmente e não só na imaginação, como eu me masturbava pra ela pedi pra que ela se masturbasse pra mim tambem, e era gostoso esse jogo de sedução, sempre falavamos as maiores sacanagens que podiamos imaginar, eu dizia tipo, quando voce me chupar posso gozar na sua boca, ela respondia que tinha nojo mas eu insistia… posso voce deixa??? ela acabava concordando.

O tempo foi passando e o virtual não nos satisfazia mais, e o engraçado é que ela me provocava pra ir visita-la, como eu morava longe era dificil, mas ela me desafiava e falava, voce não acha que eu valho a pena, eu respondia eu vou se vc me der o cuzinho, deixar eu enfiar meu pau todo nele, ela respondia que nunca tinha dado o cuzinho pra ninguem que ainda era virgem ali, mas que podia negociar se eu fosse carinhoso eu então lhe prometi ser carinhoso se ela me desse o presente, ainda lhe perguntei, quando eu for posso levar uns brinquedinhos, ela perguntou de que tipo, eu respondi tipo…. penis artificial pra quando eu tiver te comendo enfiar no seu cuzinho tambem pra vc sentir a sensação de dupla penetração, ela respondeu vou adorar, pode trazer o que quizer… as vezes eu perguntava a ela, voce não me acha tarado com esses fetiches tipo comer o cuzinho dela, gozar na boca dela, e outras fantasias incluia sexo a tres ou mais pessoas, quando começávamos a fantasiar entravamos de cabeça na fantasia e que se fodesse o resto, ela como uma boa amante dizia serei uma puta sim, mas só sua puta, vou fazer tudo na cama com você.

Enfim começamos a amadurecer a ideia do encontro não virtual, confesso que quando chegou a hora fiquei com medo por eu ser casada, e por achar que ela estava muito envolvida comigo eu não queria isso, não queria uma mulher apaixonada, eu queria uma mulher pra ter cama e ponto final tanto que na hora H eu me afastei dela, fiquei semanas sem aparecer e ela sem entender nada, achei que seria melhor assim, porque assim ela me esqueceria eu passaria por um mal agradecido pelos momentos de carinho que ela me deu, mas ela ficaria livre pra encontrar outra pessoa que morasse mais perto e que pudesse dispensar-lhe carinhos e atenção.

Mas,… nunca perdi o tesão por ela, eu me masturbei por varias vezes pensando nela parecia estranho mas eu sentia falta dela, e como quando a gente tem uma coisa inacabada ela sempre volta a tona, acabei por me reaproximar dela de novo, ela estava muito magoada e com razão, ela me cobrava dizendo que eu não a quis, que a culpa era dela porque ela tinha se mostrado na CAM, mas não era isso, era eu mesmo o meu medo que me fez não ir…. mas com essa reaproximação todo aquele tesão contido aflorou novamente, não fizemos mais sexo virtual, mas conversávamos regularmente, até que um dia eu pensei comigo que se foda eu quero comer essa baixinha e se ela quiser vou transforma-la numa puta bem putona do jeito que eu gosto.

Deu certo que eu tivesse que ir até a cidade dela a serviço e iria ficar dois dias lá, eu teria uma tarde e uma noite livre, então eu passei um e-mail pra ela dizendo que eu iria estar lá, se ela quizesse me conhecer realmente seria a chance dela, passei o nome do hotel onde eu estava hospedado, e todas as informações tipo que horas ela me acharia, normalmente a noite, etc e tal…. mas eu não achava que ela viesse nem me quizesse mais, quando então meu celular toca, era ela… dizendo que estava penjsando em visitar-me no hotel pra me conhecer perguntou qual melhor horario respondi que a noite era melhor horario.

Naquela tarde fiz o que tinha que fazer e fui pro hotel, tomei um banho, e esperei, quando então anunciaram que ela tava na portaria eu fui até a portaria e depois subimos pro quarto, não preciso nem dizer que mal entramos no quarto eu a abracei e a beijei, ela sem dizer uma palavra retribuiu e nos engalfinhamos como se numa briga, caimos na cama eu já tinha tirado a blusa dela, e ela já tinha aberto minha camisa, continuei beijando-a furiosamente, ja estavamos nus e eu dizia, ah!! minha Lu, baixinha gostosa, mfinalmente vamos sair do zero a zero, oce vai sentir o gosto da minha rola entrando na sua chana, nem adianta reclamr vou fazer tudo que um dia fantasiamos, e dizendo isso retirei minha cueca, meu pau tava duro que nem um taco de baseball, oferecei então pra ela chupar, ela caiu de boca, não se fez de acanhada, começou a masturbar com a mão e com a boca, aquela lingua quentinha eu sentia passar em volta da minha glande, que delicia, eu pr provocar falava, chupa sua puta, chupa vadia, não era isso que voce queria??? então chupa gostoso faz seu macho gozar, ela ouvindo isso parou um pouco e falou só não goze na minha boca tá, eu respondi agora é tarde chupa vadiam vou encher sua boca de porra querendo você ou não, e ela dai por diante meio que chupava meio com nojo mas isso me excitava eu então tava quase gozando quando agarrei-a pelos seus cabelos e puxei contra meu pinto enfiando todo em sua boca, nesse momento eu gozei abundantemente, minha porra escorria pelos seus lábios metade ela engoliu metade ela cuspiu fora.

Falei-lhe então, que tal satisfetia com a preliminar. como eu te disse Lu, vamos aproveitar e realizar tudo tudo que fantasiamos um dia, voce vai ser minha escrava sexual, e dizendo isso a coloquei na cama de bruços e posicionei o meu pau na porta do seu cuzinho ela reclamou e disise, Jaime come a buceta primeiro,

depois come o cu, eu falei que buceta que nada, quero comer o seu cu, buceta eu sempre como em casa da minha mulher, você disse que queria ser minha puta então puta não escolhe, e dizendo isso dei vários tapas de mão aberta nas nádegas dela, comecei fraquinho e fui aumentando até fica mais forte a ponto de ficar a marca a minha mão e dos detos desenhado na bunda dela, e depois soquei meu pau sem dó nem piedade pra dentro do cu da Lu, ela então deu um pulo pra frente reclamou de dor disse pra ir mais devagar, meu pau não era grande mas era grosso, eu não quis saber, segurei-a pelos ombros puxando seu corpo contra o meu pau, enterrei tudo senti entrar até o talo, ela vendo que não tinha jeito mesmo começou a rebolar pra ajeitar melhor, logo ela estava acostumada e eu comecei a bombar enquanto ela rebolava e ja não reclamava mais, eu perguntei tá gostando tá curtindo, ela abriu um sorriso enorme e disse, apesar da dor está sim muito bom, bombei bombei até que gozei novamente, depois que eu gozei com o meu pau ainda dentro do seu cu soltei o peso do meu corpo em suas costas e comecei a beijar-lhe o pescoço a apertar aqueles peitões, ela estava entregue ao prazer a as minhas caricias e estava curtindo muito.

Demos uma pausa depois disso, fomos ao banheiro tomar banho mas a sacanagem continuou, eu comecei a acariciar seu corpo, fazer movimentos em baixo dos seus seios com o sabonete, logo comecei a beijar-lhe seu corpo, abracei-a por traz e meu pau estava novamente encaixado nas suas nadegas duro de novo, então saimos da agua e fomos pra cama dessa vez sem muita cerimonia eu a deitei, beijei seus labios enquando meu paiu já encaixado na sua buceta entrou furiosamente como um guerreiro pronto pra batalha, comecei a bombar forte, ela tentou enrolar suas pernas em volta da minha cintura, mas como ela era gordinha e eu tambem, ficamos apenas no rala e rola normal, como eu já tinha gozado duas vezes anterior dessa vez eu estava demorando um pouco mais pra gozar, mas isso foi bom porque fizemos sexo bem devagar sem pressa…… até que gozamos quase juntos…… desfalecido cai ao seu lado e nos abraçamos, para adormecermos juntinhos, quando demos por fé já era manhã do outro dia, eu tinha que ir trabalhar e ela tinha que voltar pra casa, afinal nem tinha avisado que ia passar a noite fora.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *