FLAGADO PELA IRMÃ – ME DEI BEM?

Cheguei em casa encontrei minha irmã deitada no sofá de camisolinha e bunda pra cima, não resisti e fui bater uma punheta, ela acordou e me flagou, mas no final deu tudo certo

Olá pessoal, já faz um tempinho que relatei sobre uma suruba que eu, minha irmã, o namorado dela e a irmã dele fizemos, pois bem depois disso minha irmã disse que nunca mais íamos repetir a dose e inclusive proibiu a mim e meu cunhado de ficar comentando sobre o ocorrido

Porém o meu tesão pela irmã só fazia aumentar, frequentemente batia punheta em homenagem a ela mas não havia chances fudê-la novamente, as vezes dava umas indiretas mas ela cortava logo qualquer possibilidade não dando nenhuma brecha, mesmo quando Nando tentava acertar alguma coisa ela cortava o assunto

 

Num certo dia cheguei em casa e encontrei Vanessa dormindo no sofá com a TV ligada, estava de camisolinha curta e calcinha, deitada de barriga pra baixo e bunda pra cima fiquei parado admirando aquele corpinho que tanto desejava e fiquei logo excitado, como ela estava num sono profundo resolvi sentar depois de suas pernas no braço do sofá e em silêncio coloquei o pau pra fora e fiquei batendo uma punheta enquanto olhava o seu cu, poderia ter ficado ali até gozar diante daquela visão mas tive a tolice de tentar abrir as pernas dela para ter uma visão melhor de sua bucetinha, então bem suavemente abri suas pernas e coloquei de lado a calcinha

 

Ela despertou assustada deu um pulo e sentou no sofá se recompondo e bem séria começou a me dar uma bronca

_ Que isso Diogo tu tá doido? Que história é essa de ficar me tocando? Que liberdade é essa?

Eu sem ação sem saber o que fazer ou falar diante da merda que tinha feito, não conseguia responder nada, ainda me viu de calça arriada segurando o pau e complementou

_ Porra e ainda batendo punheta, onde é que você está com a cabeça?

Eu me recompus e sem ter nenhuma explicação que pudesse dar apenas pedi

_ Fala baixo pra não acordar papai e mamãe

Ela baixou o tom e quase sussurrando complementou

_ Eu só não conto a eles porque e ficaria chato pra mim também, mas que ideia é essa? Você tá bêbado, tá drogado? Tu já pensou se um deles chega e pega você batendo punheta olhando para meus fundos, mamãe ia ter um treco

Então já refeito não tinha nada o que fazer e fui sincero

_ Desculpa Van sei que fiz merda mas entenda meu lado, pô desde daquele dia que estou num tesão do caralho pra pegar você novamente e quando cheguei ví você linda, gostosa e vulnerável, eu não resisti e quando vi já estava com o pau pra fora batendo punheta

Notei que ela gostou do elogio e já mais calma disse

_ Puta merda sou tua irmã e tenho namorado

– Besteira teu namorado vive comendo a irmã dele também

Ela então mais séria me questionou

– Por que? Como é que você sabe, quem te disse ele ou ela? Ele me disse que depois daquele dia não tava mais comendo ela

– Ninguém me disse nada, mas Simone sendo escrota como é não vai ficar tentando ele? E você acha que ele vai conseguir resistir? Olha deixa pra lá esquece o que falei e me desculpe o que fiz

Ela pensativa no que falei me olhou e disse

– Tudo bem, mas te controla e vê se não faz besteira e fique só na imaginação

Aproveitei as palavras dela e dei minha entrada

– Tudo bem não vou te atacar mais, só não tenho como prometer em não pensar em você e bater uma punheta, agora mesmo vou ter que concluir a que você interrompeu

Ela deu um sorrisinho e me xingou

_ Nojento, tarado, pervertido

Se levantou e foi para seu quarto, eu fui na cozinha bebi um copo d`agua e estava indo para meu quarto quando ela me chama, abro a porta do seu quarto e ela pergunta

– Nando nem Simone não falaram nada mesmo?

– Vanessa não encuca, eu falei o que acho conhecendo os dois, você é que é muita ingênua

Olhei pra ela a alça da camisola arriada quase mostrando os seios, dei mais uma cantadinha

_ Deixa eu ver mais uma coisinha pra animar a minha punheta

Pra minha surpresa ela disse

– Vai donzelo entra e fecha a porta, mas fique longe de mim, eu vou quebrar seu galho

Entrei em seu quarto e fiquei encostado na porta, ela colocou os seios pra fora e ficou alisando, depois abriu mais as pernas e ficou passando a mão na buceta por cima da calcinha, eu fiz sinal pra ela tirar a calcinha, ela atendeu e ficou passando os dedos sobre a buceta, eu coloquei meu pau pra fora e fiquei punhetando enquanto ela se masturbava também

Já estava uma delicia mas eu queria mais, então implorei

_ Porra Vanessa deixa eu te fuder?

– Não senhor, é isso ou nada

_ Porra dá pelo uma chupada, tenha pena do seu irmãozinho eu estou desesperado

_ Tu é foda, que insistência , tá bom trás essa rola dura aqui que vou dá só uns beijinhos

Eu me aproximei dela, primeiro fiquei passando a rola no rosto dela, depois pelos lábios enquanto ela da beijinhos, peguei em seu queixo ela abriu a boca e eu enfiei

Quase gozei quando senti a língua quente e a boca macia mas me segurei, fiquei fazendo vai e vem em sua boca, ela ficava fazendo massagem nos meu ovos, pensei que ela ia pedir pra eu não gozar dentro de sua boca, mas ela só me chupava as vezes enfiando a rola até sua garganta, já não estava aguentando mais e antes que ela pedisse pra eu sair peguei em sua cabeça e puxei de encontro a minha barriga para meu pau ir o mais fundo possível na sua boca e esporrei, ela ameaçou sair mas segurei firme na sua cabeça não permitindo e só tirei o pau depois que gozei tudo e ela engoliu, depois tirei o pau ainda melado e esfreguei no seu rosto, ela pegou um pano e ficou limpando e reclamou

_ Lambão me melou toda, pronto agora que já matei seu desejo me deixe em paz e nunca peça isso ou algo assim, papai e mamãe morre se saber o que a gente fez, vai sai do meu quarto que quero dormir

Saí do quarto dela realizado e satisfeito, principalmente porque sabia que agora que tinha vencido a primeira barreira logo logo eu fuderia novamente sua buceta e cuzinho

2 Comments

  1. Avatar
  2. Avatar

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *