Comendo a Irma no motel

Olá, meu nome é Carlos e o que vou relatar aqui é como acabei comendo minha irmã.
Minha irmã se chama Marcia, ( nome fictício) e o fato ocorreu em 2016. Minha irmã é uma mulher solteira de 26 anos e que trabalha para a prefeitura em uma cidade do Rio grande do sul. Mas nossos pais, e inclusive eu, moramos em minas. Tudo ocorreu da seguinte forma.
Minha irmã iria nos visitar por 3 semanas, e ela iria vir de avião, do sul até o Rio de janeiro.

Ficou combinado de que quando ela chegasse eu fosse buscá-la. Na época eu tinha 20 anos, mas já tinha experiência em viagens mais longas. Moro na zona da mata mineira, e de minha cidade para o Rio de janeiro são mais ou menos 3:20h. O vôo dela iria chegar às 20:15 de sábado.
Chegada a hora de eu saí de carro da minha cidade para buscá-la no aeroporto, pensei que a viagem seria tranquila, afinal era só buscá-la e voltar.
Cheguei no aeroporto e recebi a notícia de que o vôo dela atrasou 2 horas. Ótimo. Fiquei esperando. Já estava cansado da viajem de ida, mais a volta ainda…
Vejo minha irmã chegar e aceno pra ela. A primeira coisa a se reparar nela é a beleza de minha irmã. Uma GOSTOSONA. 1,56 de altura, pernas malhadas, bumbum durinho, cabelos longos e loiros, rosto angelical e peitos salientes.
A comprimento com um abraço e beijo. Ela me perguntou como eu estava, se estava estudando, se estava namorando…tudo o que se geralmente pergunta a quem não vemos a muito tempo.
Até aqui eu só estou contando isso, pro meu relato não ficar sem pé nem cabeça. A coisa começa a esquentar, quando eram 2:37 da manhã e eu já estava chorando de sono enquanto dirigia. Um perigo sem igual.
Minha amada irmã pra quebra o gelo fala:
– Aiiii que sono. (Enquanto bocejava)
– É…eu TBM tô morrendo de sono.
– Você acha que dá pra chegar tranquilo em casa?
-acho q sim. Mas tá difícil.
– não quer parar não? Você tira um cochilo e volta dirigir depois.
– não. Dormir na estrada é muito perigoso.
– A então vamos parar em um hotel?!
-será q tem por aqui?
Estávamos na serra de Teresópolis. Tudo que eu via era MOTEL, e não HOTEL.
Daí eu falei
– Por aqui só tem motel.
Comer a buceta de minha irmã é um privilégio pra poucos homens. Vocês nunca entenderão o que tem no meu daquelas pernas. Não é somente uma vagina. É a buceta de minha irmã. Um tesão só de lembrar. A minha vontade era de parar o carro e comer ela ali mesmo. Mas isso não dava pra fazer.
Ela disse:
– A mas é só pra dormir, não faz diferença.
– você não acha estranho não?
– não. É só a gente entrar pro quarto sem fala nada. Nem vão saber q somos irmãos.
– ok então.
Realmente estava com sono, mas a ideia de dormir na mesma cama com minha irmã, afastou completamente meu cansaço.
Minha irmã é filha de outro casamento. Não crescemos juntos. Tínhamos pouca ligação fraternal.
– Ali ó. Tem um. Tá aberto.
– tá.
Entramos pra dentro. É claro ninguém perguntou nada. Ficamos no quarto 122. Isso já eram 3:00h da manhã. Meu sono tinha ido embora. Estava quente a noite, mesmo na serra.
Falei com minha irmã:
– Vou passar uma água no corpo pra refrescar.
– ok. Depois eu vou também. Estou morta de calor.
Tirei a calça jeans e a blusa. Tomei meu banho e voltei.
Um detalhe importante. Eu fiquei de cueca pra dormir. Afinal de contas quem dorme de calça jeans. Enquanto minha irmã estava no banho, eu me deitei na cama que era redonda por sinal, e tinha um espelho em formato de coração no teto.
Mandei uma mensagem prós meu país falando que tivemos q dormir numa pousada (obviamente não iria falar motel) pois eu estava com muito sono para dirigir.
Outro detalhe que não pode faltar. Minha irmã apesar de estar com todas as malas dela, não as levou pro quarto. Até por que em motéis vc não leva mala pro quarto. E o principal, pra minha irmã nós éramos apenas irmãos com amor fraternal. Ela não sabia que eu sentia, e ainda sinto, amor carnal por ela.
Com ela ainda no banho, desliguei o celular e fui ligar a TV. Óbvio os únicos canais q tinham era
Sexy hot, playboy TV e um outro q não me lembro o nome. Meu pau subiu na hora.
Eu estava deitado numa cama de motel, usando cueca box, daquelas que esticam da Lupo, com uma loira gostosa no chuveiro, e passando sexy Hot na tv….meu cacete tava a todo vapor.
Tirei o pau pra fora e comecei a me masturbar. Quando minha irmã terminou o banho, desliguei a tv, e me cobri com o lençol. Ela saiu de calcinha e sutiã.
– Carlos, vida pro lado só pra eu por minha blusa!
Virei. Perguntei:
-vai dormi só de calcinha?
– é o jeito. Deixei minhas coisas na mala.
– ok(era tudo q eu consegui falar)
Minha irma de calcinha do meu lado na mesma cama..porra eu tava sonhando.
Ela se deitou e dormiu. Eu não dormi por umas meia hora. Decidi q eu tinha q bater uma punhetinha. Minha irmã tava deitada de ladinho. Peguei meu celular e acendi a tela dele, pra dar uma espiada na bunda dela.
Não consigo descrever o tesão q senti ao ver aquela gloriosa bundinha branca com aquela calcinha de renda. Uma calcinha branca com detalhes de florzinha rosa.
Comecei de vagarzinho. Quando de repente ela se moveu pra trás. Congelei e parei
na hora. Ela se moveu mais um pouco em minha direção, e ficou com a bunda grudadinha em mim.
-que foi?- ela disse.
-humm…nada
-assim tá bom agora?
-ta bom o que?
– você aí batendo punheta! Às vezes tu deve querer me comer também?!
Não respondi nada. Fiquei muito envergonhado.
– Anda. Vai. Come. Não é isso q vc quer? Veio com esse papo de que tava com sono e eu acreditei numa boa. Tu é esperto em cara. Falou q não tinha hotel aqui na serra só pra me leva pro motel. Cachorro. – nisso minha irmã já tinha ascendido as luzes e estava sentada me dando esculacho- safada, sem vergonha, seu tarado, querendo comer sua própria irmã. Você tem noção de quanto isso é errado. Seu doente. Vê se dormi aí pra gente ir embora amanhã.
– desculpa, eu não fiz por mal, só achei que…
– achou o que? Q eu ia da pra você, seu doente. Eu sou sua irmã. Não sua puta.
Eu tinha tirado a cueca e colocado do lado da cama, mas ela caiu atrás da cama, tive q me levantar pra pegar.
Enquanto eu vestia a cueca e via minha irmã quase nua, meu pau subiu de novo e meu tesão tbm.
Como eu já tava na merda resolvi arriscar com ela. Afinal o que é um peido pra quem já tá cagado.
Subi na cama e me masturbei pra ela ver. Ela não falou nada enquanto eu batia punheta. Só olhou. Segundos depois ela começou a me masturbar. Ambos calamos a boca e seguimos o fluxo. Quando vi ela já estava sem camisa, sem calcinha e chupando meu pau.
Pus ela na posição papai mamãe e comecei a penetração. Dava tapas em sua bunda até minha mão arder.
-fica de quatro sua cachorra!
– Aiiii. Não fala assim. Me chama de irmãzinha. Vai por favor irmão. Vai me chama de maninha.
– anda irmãzinha, fica de quatro pro seu mãmao. Vai, empina a bundinha pro seu brother.
– tá bom irmãozão. Come devagarinho a bucetinha da sua irmãzinha.
Ela começou a fazer voz de carência, e isso me deixou com um tesão descomunal.
– hãm hãm hãm hãm vai irmãozão come, vai, come sua irmã. Vai mete gostoso na irmã.
Se cachorro, cafajeste.
– a sua putinha incestuosa. Tu queria mais do que eu né vadia? Por isso dormiu só de calcinha?!
– hãm hãm hãm hãm hãm vai fode essa buceta. Come sua irmã com vontade.
– vou gozar porra
– anda, goza, goza dentro de mim. Anda quero o leite só meu irmão em mim. Anda porra me dá um filho vai. Me engravida. Quero fica grávida do meu irmão. Anda porra. Seu puto. Gosta dentro dessa buceta.
– hãm, hãm hãm.
Enchi ela de porra. Nunca tinha gozado tanto.
Minha irmã deitou no meu peito, como namorados.
-obrigado irmãzinha.
-será nada irmão. Mas isso fica somente entre nós.
-ok. É claro.
-será q eu vou ficar grávida?
-tomara q não.
– A….eu gostaria de ter um filho com você.
-hahaha. Amanhã eu compro a pílula pra você, ok?
-hahaha tá bom.
Ela me deu um beijo. Gostoso e babado.
Antes de dormir naquela noite eu pense:
“ acabei de fazer sexo com minha própria irmã. Ela tá aqui do meu lado. Nua, saciada de prazer que com meu pênis a deu. Cheiro de meu esperma. Com a possibilidade de engravidar de um filho meu….”
Depois eu dormi. Tempos depois, ainda fazemos amor, às escondidas. Mas hj ela já é casada e a farra acabou por um tempo. Espero q ela ainda consiga dar umas às escondidas.

Tags:,

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *